Ouça a RÁDIO LIVRE GAVIÕES!

PALAVRA DO PRESIDENTE

“O resgate do ambiente da Sede é o nosso maior desafio. Temos a plena noção que devemos estar unidos.” (Rodrigo Fonseca – Diguinho)

O jornal “O Gavião” conversou com Rodrigo Fonseca (Diguinho), atual presidente da Gaviões da Fiel. Além das ações que estão sendo desenvolvidas nesse início de mandato, o presidente destacou o que os associados podem esperar da nova diretoria nos próximos anos. E ressaltou: “vamos dedicar 100% da nossa caminhada ao máximo para voltar o que era o Gaviões na arquibancada nos anos 90 e o ambiente que era na sede”.

Diguinho nos conta um pouco dos projetos que a diretoria anterior já estava realizando e a criação de outros:

“O principal é o resgate do ambiente. Trazer de volta o associado descontente com a torcida. Temos outros projetos para a torcida, principalmente na arquibancada, mas mesmo assim, precisamos da ajuda dos associados. Temos plena noção que devemos estar unidos. Isso acontecendo, teremos melhorias e iremos resgatar o nosso maior foco que é a arquibancada. No setor vip, pretendemos reformular o sistema de mensalidade. Com isso, teremos um relatório, um melhor controle e uma transparência para o associado. Pretendemos terminar o camarote que está sendo contruido. Nesse camarote, terá um espaço para churrasqueira e o associado poderá fazer neste local eventos e aniversários gratuitamente. Pretendemos fazer uma área de lazer com brinquedos para as crianças, voltado principalmente para os sábados onde temos a nossa tradicional feijoada. Atualmente, 40% dos nossos artigos são de confecção própria. Na nossa próxima gestão, queremos chegar aos 80%. Com isso, conseguiremos baratear o custo final para o associado. Temos a ideia de colocarmos a disposição da loja mais produtos femininos. Sobre o projeto estrutural da sede e departamento vip, fizemos diversas obras nesta gestão. Reformas no telhado da quadra, banheiros, camarotes, loja, lanchonete e uma cobertura melhor no barracão. Temos outros projetos estruturais, mas, infelizmente temos dividas para pagar. Fizemos essas reformas pois entendemos que era necessário para o resgate do ambiente”.

Abordamos também a questão das ações dentro do clube, Diguinho nos relata oque está sendo feito:

“Nossa atuação com o Corinthians vem vindo de algumas dificuldades dentro do clube. Não concordamos com algumas coisas como por exemplo: valor do ingresso, jogadores que nem o clube defende e recebe alto salário do Corinthians. Isso é inadmissível. Sobre o nosso estádio, queremos uma melhor transparência. A diretoria do clube nos afirmou que a arena ainda está em construção e o real custo será divulgado após a conclusão. Mesmo assim, temos ido constantemente ao Corinthians para cobrar a diretoria. Conseguimos reverter a gratuidade para idosos, deficientes e crianças. Deixamos claro que somos totalmente contra torcida única nos estádios. Temos o projeto de montar uma comissão onde possamos estar acompanhando melhor o dia a dia do clube, principalmente a categoria de base. As negociações em alguns casos são obscuras e não concordamos com o clube tendo apenas 30% dos direitos econômicos. Diretores terem 4, 5 atletas dentro da base. Estaremos fiscalizando e cobrando isso”.

Mais um assunto importante a ser falado em nossa entrevista, foi sobre o futebol moderndo e o cenário atual, Diguinho comenta:

“O cenário hoje é triste. Cada vez mais com a elitização do futebol, eles tentam excluir o povo mais pobre, o povo mais sofrido do estádio e conseqüentemente tentam afastar as torcidas organizadas. Diferente de muita coisa que as pessoas dizem, as regras de hoje mudaram e muito. Antes cobrávamos os jogadores, voltávamos para arquibancada e ainda tocava o surdo. Hoje, o cenário é diferente. Hoje se fizermos isso, perdemos o direito de ter a faixa no estádio e podemos ser presos. Com isso, temos que ter cuidado ou teremos a nossa entidade punida. Recentemente, na final da Libertadores, a faixa dos Gaviões não estava presente devido a esse cenário. Ainda sobre a cobrança a elenco, achamos uma alternativa principalmente após episódios na Bolivia e no CT. Na nossa gestão, decidimos não colocar em xeque o nome dos Gaviões na imprensa. Hoje, infelizmente estamos num pior momento. A imprensa nos coloca contra até mesmo do torcedor corinthiano comum. Com isso, decidimos cobrar o clube internamente não expondo o nome dos Gaviões. Cobramos sim, da forma que aprendemos. Sempre numa cautela para não prejudicar a entidade na arquibancada. Recentemente, foi criado a ANATORG (Associação Nacional das Torcidas Organizadas) onde o Gaviões levantou uma bandeira importante. Faremos um manifesto nacional. Naquele mesmo modelo na qual fizemos no Pacaembu, onde se calamos por 40 minutos para mostrar o cenário do futebol moderno com e sem a torcida organizada. Queremos mostrar que fazemos parte do cenário do futebol dentro e fora do estádio. Não podemos tomar atitude isolada que pode prejudicar o Corinthians dentro de campeonatos e prejudicar os Gaviões com o seu material. Pois sairemos prejudicados e o Corinthians também.

Sobre o Carnaval, presidente nos conta as estratégias e como irão continuar a administrar nesses 3 anos de gestão.

“Acredito que nesses dois anos de gestão, aprendemos muita coisa. Montamos uma comissão para administrar o carnaval e será o modelo a ser seguido em nossa nova gestão. Colocaremos pessoas capacitadas que entendam de carnaval, harmonia, barracão, fantasias. Iremos rever sim alguns pontos que erramos e tentaremos corrigir. O resultado que tivemos esse ano é que estávamos mais preparado. Infelizmente fomos injustiçados. Mesmo assim, iremos estudar para ter um melhor carnaval. Criamos uma nova política de reciclar os nossos materiais. Anteriormente, os carros eram desmontados e eram vendidos os ferros que sobravam. Com essa reciclagem, conseguimos economizar. Quem acompanhou o barracão, percebeu que mudou bastante coisa. Profissionalizamos o pessoal que faz a alegoria. Hoje cerca de 90% são de fora. E para um carnaval melhor para os Gaviões, ainda deveremos mudar algumas peças.

Para finalizar Diguinho agradece a quem esteve ao seu lado nesta última gestão e na corrida para as eleições com a “CHAPA 3”.

“Queria agradecer todo mundo que correu com a gente nestes dois anos. Agradecer ao pessoal da harmonia, da comissão de carnaval e bateria por ter acreditado no nosso trabalho também. Agradecimento especial para os tesoureiros, pessoal do ingresso, para toda a diretoria de eventos, pessoal do Departamento de Comunicação, pessoal da mensalidade, enfim, todo mundo que fez parte desses dois últimos anos da gestão dos Gaviões. Sei que se dedicaram ao máximo para o melhor dos Gaviões, então só tenho a agradecer vocês por esses dois anos e pela confiança na gente. Agradecer a todos que está apoiando a próxima gestão. Tem várias quebradas, pessoal mais antigo também. Conversamos com muita gente, pessoal dando um apoio legal. Tivemos algumas surpresas de um pessoal que estava contra e hoje está nos apoiando. Agradecer esse povo que confiou no nosso trabalho que reconhece o trabalho dos últimos dois anos que foi feito e está dando apoio para a gente. Vocês podem ter certeza que se estávamos preparados a dois anos atrás, hoje estamos muito mais preparado e vamos dedicar 100% da nossa caminhada ao máximo para voltar o que era o Gaviões na arquibancada nos anos 90 e o ambiente que era na sede.

Entrevista concedida ao Jornal “O Gavião” – Especial Eleições  – Março / 2015