Nota Oficial: Punição da F.P.F.

Nota OficialHoje, os Gaviões da Fiel abordará o tema mais recente, de uma forma diferente. Ao invés da formalidade de uma nota, como costumeiramente fazemos, daremos espaço para um papo reto, sincero, de torcedores para torcedores.

E o mais importante: o papo aqui é de qualquer torcedor para qualquer torcedor, seja ele organizado ou não, seja ele Corinthiano ou não.

Não nos surpreendeu em nada a punição que a Federação Paulista de Futebol destinou a nós, Gaviões da Fiel Torcida, por acendermos sinalizadores na final da Copinha, disputada na segunda-feira passada, dia 25.

A punição era esperada e, justamente por isso, nos adiantamos com os cânticos mais sinceros que poderíamos destinar aos supostos mandatários do esporte bretão: Federação, o futebol não precisa de você!

Verdade esta, cada vez mais absoluta.

Achamos que a molecada da base, ao ter a oportunidade e privilégio de jogar em um Pacaembu lotado, merecia a festa que sempre fizemos com muito gosto e orgulho, para todos que vestiram a camisa do Corinthians.

E o fizemos sem melindres.

Agora que a punição foi formalizada e nós, Gaviões da Fiel Torcida, não poderemos estar nos estádios por 60 dias, deixamos algo bem claro: nossa diretoria não se responsabilizará, durante o prazo da punição, por qualquer ato de qualquer torcedor que esteja nos estádios.

60 dias que vocês, que se empenham dia após dia por um futebol do bom comportamento, da boa conduta, da moral e da ética, terão que caçar outro bode expiatório.

Pois é fácil vender a ideia de que somos um mal ao futebol. Nossos sinalizadores, aqueles que furam camisetas, podem ser para muitos o que há de mais nocivo ao esporte.

Mas contestamos a tese destes.

O que há de pior para o futebol, são os escândalos de corrupção, o valor abusivo dos ingressos, os esquemas de empresários, a mercantilização da paixão, a elitização e esbranquiçamento das arquibancadas.

Não as faixas, bandeiras, instrumentos, cânticos e muito menos a pirotecnia.

Pouco nos importamos com as punições, desde que sejamos ouvidos. Pois quem tenta nos calar e nos rotula como marginais, muitas vezes é quem menos tem moral para tal.

E aqui mandamos recados bem específicos:

Marginal não é quem torce, quem faz festa, mas quem rouba dinheiro da merenda das crianças!

Ao ex-promotor e agora deputado Fernando Capez (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, que se promoveu politicamente às custas da marginalização e propagação do preconceito para com os torcedores organizados, temos um recado.

A você, que sempre nos tratou como caso de polícia, mandamos um afetuoso abraço. Um abraço especial por ser agora alvo não apenas da Polícia Civil, como do Ministério Público de São Paulo, por cobrar propina em licitação das merendas escolares em contrato com o Governo do Estado de São Paulo.

Outro abraço afetuoso ao também promotor Roberto Senise Lisboa, da 5ª Promotoria do Consumidor da capital, que já tentou fechar os Gaviões da Fiel cerca de cinco vezes. Este, que também nos considera indevidos para a sociedade, também é alvo do Ministério Público de São Paulo, pelo recebimento de propinas.

Já aos torcedores, dizemos com toda a certeza, que se são senhores como o Fernando Capez e Roberto Senise Lisboa os certos, aceitamos o rótulo de errados. Somente neste caso!

E para as federações, estaduais e nacional, reiteramos que se suas punições tem o intuito de nos calar, saibam que isso não funcionará. Pois nessa história de certo e errado, temos pontos de vista bem diferente do de vocês.

Acendemos sinalizadores, não roubamos dinheiro público e/ou merenda de crianças.

Pelo futebol do povão, pela festa nas arquibancadas, JAMAIS nos calaremos.

// Gaviões da Fiel Torcida – Lealdade, Humildade e Procedimento \\

Compartilhe!
FacebookTwitterGoogle+Compartilhar