Gaviões da Fiel conquista ingresso popular na MP do Futebol

 

Medida está vinculada à criação de uma loteria, a chamada Lotex, que prevê o repasse de parcela do valor arrecadado aos clubes que aderirem ao programa
 
Obrigação de ofertar ingressos a preços populares em todas as partidas. É o que prevê o artigo 4, inciso X, da Medida Provisória 671, a MP do Futebol, sancionada nesta quarta-feira, 05, pela presidente da República Dilma Rousseff.
 
Apesar da MP tratar do refinanciamento das dívidas dos clubes, a intervenção da diretoria dos Gaviões da Fiel na tramitação do projeto fez com que a emenda que instituiu a obrigatoriedade da comercialização de ingressos populares fosse aprovada no conjunto da Medida Provisória.
 
A medida está vinculada à criação de uma Loteria Instantânea Exclusiva, a chamada Lotex, que prevê o repasse de parcela do valor arrecadado aos clubes que aderirem ao programa previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte. A receita gerada com os jogos da loteria, uma espécie de raspadinha ainda a ser criada, subsidiará a política de ingressos mais baratos.
 
O clube, ao ceder a sua imagem, terá direito a essa compensação financeira e poderá comercializar como agente lotérico, aumentando a sua receita conforme o desempenho na loteria. Ainda não está definido se será uma raspadinha para todos os clubes ou uma para cada time. A única definição é de que estão vinculados a essa arrecadação a oferta de ingressos populares e o incentivo às categorias de base e ao futebol feminino.
 
De acordo com o presidente dos Gaviões da Fiel, Rodrigo Fonseca (o Diguinho), foram diversas iniciativas, desde audiência pública às intervenções junto aos parlamentares, para que finalmente a reivindicação da torcida fosse contemplada, mesmo que não da forma originalmente reivindicada. “Nossa luta é para que todo Corinthiano, seja de organizada ou não, tenha novamente o acesso às arquibancadas. O ideal era não ter que reivindicar cota popular. Porém, com a realidade do futebol moderno, consideramos essa ação, mesmo que ainda pequena, uma importante vitória”.
 
O documento, entretanto, não determina um valor específico a ser cobrado pelo ingresso, o que, segundo o Diguinho, será motivo de acompanhamento por parte da organizada. “Temos que ficar em cima e acompanhar. A própria lei exige a publicação de demonstrações financeiras e isso facilita. Sabemos também que a MP trata especificamente do refinanciamento da dívida dos clubes, por isso a luta por um futebol democrático não para por aqui”.
 
Entenda a MP do Futebol
O Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut) trata do refinanciamento das dívidas públicas dos clubes de futebol. As entidades que aderirem terão de cumprir, como contrapartida, determinações de transparência na gestão. A adesão ao programa não é obrigatória. Mas, endividados como estão, essa poderá ser uma alternativa.
 
Os clubes que aderirem terão a chance de parcelar sua dívida em até 20 anos e ter uma redução dos encargos. Em compensação, terão de adotar mudanças na gestão, assim como: não poderão comprometer mais que 80% da receita com jogadores; terão que ofertar ingressos populares; terão que reduzir seu déficit anual; fixar os mandatos de presidentes em quatro anos com possibilidade de uma reeleição; manter em dia os encargos trabalhistas; prestar contas na internet com avaliação de uma auditoria independente; entre outras exigências.
 

11825915_1039402826136662_7694170951475438885_n