NASCIDA NOS GAVIÕES, GABI CONTA COMO É CARREGAR O NOSSO PAVILHÃO NO ANHEMBI

Nome: Gabriela Mondjian.

Idade: 18 anos.

Profissão: Atualmente trabalho em banco.

Formação: Atualmente cursando Economia.

Hobby: A maior paixão da minha vida, a dança.

Como chegou aos Gaviões da Fiel?

Na verdade eu nunca cheguei, eu já nasci dentro dos Gaviões. Meus pais (Pulguinha e Luciana Mondjian) se conheceram na sede com apenas 14 anos, onde depois de alguns anos eu nasci. Nasci e cresci dentro dos Gaviões, com o maior orgulho!

Qual sua função no Carnaval?

Atualmente eu sou a segunda porta-bandeira de nossa agremiação.

Há quanto tempo você desfila?

Comecei a desfilar com apenas 5 anos na ala das crianças, onde a mãe do meu pai coordenava a ala na época. Com os meus 11 anos resolvi fazer escolinha de bateria, mas minha tia Adriana me convenceu a tentar o curso de porta-bandeira, no qual fazia mais meu perfil (ela está totalmente certa). Então, com 12 anos me tornei a quarta porta-bandeira dos Gaviões e, desde então, segui com a dança e hoje, com os meus 18 anos, estou ostentando o pavilhão de enredo.

Como é pisar no Anhembi representando o torcedor corinthiano?

A emoção de estar em um lugar que te faz bem já é sensacional, mas quando vem com o peso da torcida corinthiana tudo acaba se tornando a melhor combinação de sensações, como nervosismo pelo peso que o pavilhão tem, a honra por esta representando esse bando de loucos, feliz por estar com pessoas que eu gosto e além disso, me sinto bem pela emoção que a dança e o Corinthians me traz.

Como seria sua vida sem o Carnaval?

Acho que essa pergunta não saberei responder. Bem, antes de eu nascer minha família já era envolvida no carnaval e todo esse laço com o samba se fortificou, não teve um ano se quer que eu não presenciei a loucura do carnaval em minha casa ou em minha vida, desde pequena estava em ensaios com a minha tia (atual primeira porta-bandeira), com minhas avós que foram harmonia da agremiação, meus pais que sempre foram envolvidos de alguma forma. Portanto, o carnaval sempre esteve presente em minha vida e a cada ano eu não me imagino sem essa folia presente.

Seu carnaval inesquecível:

Eu sempre falo que todos os anos se torna um carnaval inesquecível, mas o que mais marcou minha vida foi o ano de 2012 onde entrei pela primeira vez no Anhembi defendendo o pavilhão dos Gaviões. A emoção foi bem mais intensa, onde não contive as lágrimas.

Vamos falar de Corinthians? Qual é o seu maior ídolo no Timão e por quê?

Acho que não somente o meu, mas o nosso “doutor” Sócrates, que foi um líder dentro e fora das quatro linhas, dono de muita técnica e uma inteligência incomparável, que tinha passes únicos nos quais derrubaram as defesas dos adversários. E nosso querido Tite, que foi o treinador mais vitorioso do Corinthians, atualmente é a principal referência do clube e o mais aclamados pela torcida.

Qual é o título do Corinthians que guarda no coração?

Final da Libertadores, foi um prazer estar presente naquele momento.

O que espera do Time do Povo em 2017?

Espero que todas as novas contratações venham para agregar na melhoria do time.

Uma frase que leve para vida:

“Não deixe que as pessoas te façam desistir daquilo que você mais quer na vida. Acredite. Lute. Conquiste. E acima de tudo, seja feliz”

Qual é o sonho que ainda não realizou?

Tenho muitos sonhos, mas o maior de todos é construir uma família e criar meus filhos como fui criada.

Como será sua rotina no dia 24 de fevereiro?

Ótima pergunta! No dia do desfile tenho que cumprir primeiramente com minhas obrigações de trabalho, depois quando eu saio, começa toda a preparação para a madrugada que envolve manias em determinadas ordens que precisam ser seguidas (risos), como por exemplo escutar uma única musica no dia, como ficar eu e meu pavilhão pelo menos 2 horas conversando (eu levo muito a sério a minha conexão com o meu pavilhão) e rezo bastante. Me concentro também juntamente de minha equipe que está comigo sempre e no dia do carnaval, é o dia que somos um só. Portanto, meu dia 24 de fevereiro será como todos os meus desfiles de seis anos para cá, com as mesmas tradições e costumes.

Deixe seu recado para o bando de loucos.

Primeiramente, gostaria de agradecer meu mestre-sala Paulinho e minha equipe pelo trabalho incrível que fizemos esse ano, agradecer a toda diretoria dos Gaviões por confiar em mim para este papel tão importante dentro da agremiação e principalmente a toda comunidade corinthiana pelo apoio e força que me dão ao longo dos ensaios. A felicidade do meu carnaval vem de vocês. Estamos correndo por um mesmo ideal, pelo corinthians até o fim